9
Excelente
Gaming

Mutant Year Zero: Road to Eden

Inspirado na série de RPG sueca de mesmo nome, Mutant Year Zero: Road to Eden promete uma nova pegada para o já consolidado estilo de estratégia por turnos, popularizado com o XCOM, permitindo que o jogador faça emboscadas e controle o campo de batalha de acordo com seu estilo de combate. Será que o estúdio conseguiu criar algo novo ou é só mais do mesmo?

Mutant posiciona o jogador em um universo pós-apocalíptico em que a vida moderna como vivemos não passa de uma lembrança distante (ou lenda para alguns). Inicialmente controlamos Bormin e Dux, dois mutantes patrulheiros que estão em uma missão para coletar sucata, moeda de troca no jogo, em diferentes lugares. Quem são eles? Por que parecem animais? De onde vem seus super poderes? E mais, como o mundo chegou nesse estado? Essas e muitas outras dúvidas compõe o grande mistério do título e cabe ao jogador desvendar.

Logo de cara o jogo mostra como se diferencia de outros games do gênero. Dux e Bormin estão em mais uma patrulha e após alguns diálogos, todo controle é dado ao jogador. Aqui é possível explorar o mapa, descobrindo itens (equipamentos, consumíveis, armas, itens, etc), revelando caminhos adicionais e, principalmente, enfrentar inimigos. Essa liberdade de movimento é replicada no combate, pois permite que o jogador posicione cada personagem individualmente, para iniciar o combate com a maior vantagem possível. Fique bem próximo para aumentar as chances de acerto, flanqueie adversários para anular seu bônus de defesa ou atire de uma posição elevada, para aumentar a chance de acerto crítico.

Além disso, e talvez ainda mais interessante, são as mecânicas de emboscada. Caso os personagens tenham armas silenciosas e capacidade de causar dano para eliminar um adversário em um único turno, é possível fazer uma emboscada furtiva/stealth para eliminar um inimigo e tornar a batalha um pouco mais fácil. Explorar todo o mapa para identificar quais inimigos irão patrulhar para longe, é essencial, adicionando uma camada extra de planejamento, estratégia e dinamismo.

Mutant Year Zero

Após realizar todos os preparativos, eliminar os adversários mais fracos e posicionar os heróis, é hora do duelo combate e nesse ponto, sim, há muita similaridade com XCOM. Os personagens possuem dois pontos de ação, que são consumidos a cada atividade realizada; andar, atacar, vigia, recarregar a arma, etc. Então se você quiser vencer, basta planejar seu posicionamento e sentar o dedo nos inimigos. Caso o combate tenha adversários muito fortes, lembre-se sempre de seus poderes mutantes. Cada personagem possui três habilidades; Forte (focado em dano), Leve (sobrevivência) e Passiva (suporte geral), e podem mudar completamente o rumo de uma batalha.

Como todo RPG, um punhado de pontos de experiência é dado aos personagens após o combate e, ao passar de level, resultam em novas habilidades a serem equipadas. Fique de olho nos itens deixados pelos monstros, pois podem contém sucata ou peças de armas, utilizadas na cidade para fazer upgrades nas armas ou comprar itens na cidade principal. Há também alguns artefatos, que são mais raros e desbloqueiam melhorias permanentes como mais dano nas granadas, +10% de chance de acerto crítico contra robôs, etc.

Mutant Year Zero Road to Eden

Com seu novo “approach”, o jogo consegue criar uma experiência rica e estratégica, muito antes do combate começar. Não consigo expressar o quanto me diverti criando emboscadas para inimigos que se afastavam demais. Somado a infinidade itens e upgrades que são conquistado ao longo do jogo, é possível criar turnos perfeitos, mesmo lutando contra adversários blindados e poderosos. Apesar de alguns bugs estranhos e um final decepcionante, Mutant Year Zero: Road to Eden tornou-se o jogo mais divertido de estratégia que eu joguei nos últimos meses. Sem sombra de dúvidas um excelente exemplo de como inovar em um estilo clássico e conhecido.

9
Excelente

Mutant Year Zero: Road to Eden

Mutant pega a clássica fórmula de estratégia de XCOM e adiciona seus próprios elementos, criando um RPG furtivo, desafiador e muito divertido.

Pros

  • Mecânicas inteligentes
  • Estratégico e desafiador
  • Inovador

Cons

  • Conclusão deixa a desejar
Popularmente conhecido como Koala, Guilherme tem 29 anos, trabalha com redes sociais, adora games e acha muito estranho se descrever na terceira pessoa.
Ad

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top